terça-feira, 22 de setembro de 2009

Outono



Uma vida, minha vida, meu momento.
Sinto-me solto como uma folha desprendida da figueira
na ação do vento gélido de fim de inverno.
Como o escravo azorragado que foge da madeira.
A folha junto com a poeira, que vagam de um lado para o outro
como a boca no pescoço, buscando o sabor efêmero do amor.
Folha que busca pousar no fértil solo entre teus seios
aconchegado no seu colo me causando devaneios.

Edson Carvalho Miranda

3 comentários:

Alessandra disse...

VENHA PRIMAVERA

Queria ser uma folha, a última folha do outono
Voar pelo espaço, livre, sem olhar o tempo
Rodopiando no vento, pousando nas flores
Caindo, para depois levantar-me e voar outra vez
Ser perseguida pelas aves e pelas mãos de crianças alegres
E rir do esforço vão para me pegar...
Pois sou livre e voo para onde quiser,
Carregando comigo as esperanças, as alegrias
Os sonhos de amor, tudo de bom que possa acontecer
Nesse novo renascer

Venha primavera!
Venha e deixe aqui tudo o que foi de ruim
As angústias, as dores os dissabores...
Eu sei que pisoteada serei mas, mesmo assim,
Fico feliz, pois sei que outras folhas hão de vir

Venha então primavera...

Alessandra

penelope disse...

ficou realmente simples e bela!!!!

penelope disse...

simples e bela!!!!!