sábado, 23 de janeiro de 2010

NÃO ME ACORDE


Quando se for não me acorde,
deixe-me continuar a sonhar a nossa noite.

Deixe-me lembrar o seu querer selvagem

o seu longo suspiro a invadir-me o corpo
os seus sussurros cheios de saudade.

E o seu olhar?

Ah, esse seu olhar profundo que chega
até a alma, com desejo...

Esse desejo intenso e provocante

que se renova a cada nosso beijo.

Não, não me acorde, pois se despertar

sentirei o aperto da mão da saudade
que vai me atormentar até você voltar.

Então sinto as pétalas da rosa que me deixou,

alí no travesseiro, o seu perfume,
promessa do seu amor, mas que não
vai fenecer tal qual uma flor...


Alessandra

4 comentários:

Anônimo disse...

Singela e voluptuosa poesia ! Beijos.

Mulato disse...

hola alessandra, te voy a decir ale de cariño ya que es màs personal. Sigo encontrando muchas cosas en tus blgs que me gustan.
Tu admirador Mulato. Besos desde Argentina

Alessandra disse...

Gracias Mulato, por tu cariño, y también por gustar de mis poemas...
Me gustaria encontrarte en mi blog www.alessandrapn.blogspot.com
Besos e hasta luego.

Anônimo disse...

...só uma rosa? Deveriam ser dezenas!