terça-feira, 7 de abril de 2009

Linda (Água Ardente)

Alguns amam...
De fato, amam!
Possessivamente,inconsequentemente
de uma forma tão intensa que vida
começa e um salto gigante
igualmente deslumbrante como plumas,
esvoaçantes de planar elegante
ao encontro das pedras levantam-se as brumas,
formam-se espumas.
Fazendo desenhos do rosto sisudo
que se desmancha em sorriso
aos gracejos do menino.

Riscos e resultados da queda
dos que se atiram ao amor!

No corpo rolando o suor de forma envolvente
que percorre a pele, em um repente!
Efusiva mulher que ao toque dispara a adrenalina,
que baila pelo meu corpo como droga, heroína.
Cara de bruxa, e o corpo que dança como bailarina.
Dispara sua pena malvada Arpia,
como água fria, que arrepia
como água quente ou ardente,
que da boca vai a mente.

Entrega me a mais absoluta Loucura
junto com um beijo seu, quente.

Ah, alguns amam...
De fato amam
Possessivamente, inconsequentemente
Amam...
Desesperadamente amam...
Se acovardam, diante do amor


Não!Não sabem o que fazer!
Assim como eu quisera ao menos
Saber viver longe de você.

Edson Carvalho Miranda
(07-04-2009)

3 comentários:

Anônimo disse...

Porque metade de mim é o que eu grito Mas a outra metade é silêncio.

...Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.

Alessandra disse...

"Te Amo, porque puseste a mão pela minha alma e passaste por debaixo de minhas fraquezas e com teu Amor fizeste sair à luz toda a beleza que ninguém antes de Ti conseguiu encontrar !!!"

Só posso dizer isso diante desse poema, que é como sempre arrebatador!

Beijos

Alessandra

Anônimo disse...

Odeio você! E por favor, não me procure nunca mais...
Estou te excluindo do msn e orkut.
Ass.: Linda